Acervo do Museu do Mamulengo de Olinda recebe nova doação

Cerca de 60 obras do mamulengueiro José Petrolino de Surubim vão reforçar o acervo

Cada vez mais o Museu do Mamulengo – Espaço Tiridá expande seu acervo. O local recebeu segunda grande doação do mês. Desta vez, chegaram ao espaço 59 peças do mamulengueiro surubinense José Petrolino Dutra, doadas pela arte-educadora, geógrafa e amiga dele, Mariza Paula Barbosa.

Os mamulengos estão bem conservados. O material ficou exposto até 2002, no Museu Histórico de Surubim, porém a falta de incentivo da população e dos órgãos públicos fez com que a casa fechasse as portas. A sensação de Mariza foi um misto entre saudade e alegria, porque agora ela afirma que tem certeza que as obras serão eternizadas e seu amigo, que nunca conseguiu viver do que produzia, será conhecido por visitantes de vários países.

 

Em menos de um mês, o museu recebeu duas doações consideráveis, coisa que nunca tinha acontecido antes. O acervo do local ainda não contava com peças confeccionadas por José Petrolino.

Quem faz o Tiridá está em êxtase. “Estou vivendo em estado de glória, duas doações enormes em pouco tempo. Isso é resultado de muito trabalho em equipe”, afirmou o diretor do museu, Luciano Borges.

José Petronilo Dutra nasceu em Lagoa Nova (Surubim), em Pernambuco, e seus principais trabalhos são: Benedito, Cabo 70, Professor Tiridá, João Redondo. Seus espetáculos eram cantados e dançados, com uma influência muito forte do pastoril. Ele faleceu em 1995.

Serviço:

Museu do Mamulengo – Espaço Tiridá

Rua de São Bento, 344 – Varadouro, Olinda

De segunda a sexta-feira das 9h às 17h.

Entrada única: R$ 2,00.

 

Alice Mafra – Secom Olinda

Leia Mais



O SISTEMA DE EDUCAÇÃO E MUITO MAIS

General Gilberto Pimentel

Presidente do Clube Militar

Na próxima semana estaremos encerrando o debate sobre os “Desafios e Perspectivas da Educação Diante da Realidade Brasileira”. Para coroar o evento, acontecerá um painel sobre o “Sistema de Educação nas Forças Armadas”. Vamos contar com a participação das principais autoridades responsáveis pela atividade nas suas respectivas Forças e os que nos derem a honra de comparecer poderão verificar a qualidade desse ensino e as diferenças quanto aos resultados quando há de fato priorização e a execução de uma política competente, objetiva e permanente, independente da restrição dos recursos orçamentários.

A abordagem do tema vem ao encontro da tradicional política do Clube Militar, desde suas origens, de se envolver, ativamente, na busca de soluções para problemas nacionais que afligem a vida da Nação.

Vários educadores acorreram ao nosso chamado desde o lançamento do debate e suas preciosas colaborações estão à disposição de todos no portal do Clube. Embora modesta, esperamos ter contribuído no sentido de alertar nossos dirigentes, em geral, tão descuidados do problema, possivelmente dentre os mais graves que nos afligem e provocadores de grande parte das nossas mazelas.

Não poderíamos deixar passar a ocasião para afirmar que nem tudo de mal que se atribui à deficiência do sistema de ensino nacional, ao menos na nossa modesta opinião, é disso decorrente. Acho que enfrentamos, hoje, problemas tão ou mais graves, como a crise de valores, que têm sua origem, também, em outros fatores, talvez até mais importantes.

Digo isso com a experiência de quem viveu dois anos num país muito mais pobre do que o Brasil, cheio de problemas sociais, recentemente envolvido em conflito fronteiriço, com muito baixo índice educacional, mas onde duvido, um político que seja apenas suspeito da prática de ilegalidade no exercício da função pública tenha sobrevida. Seu destino é o “juízo político” e o ostracismo e/ou cadeia. Por isso clamará indignada a sociedade.

Uma sociedade que, garanto, jamais aceitaria se abastecer numa feira de produtos roubados como as que proliferam por aqui. Lá a educação familiar ainda funciona, gente!!!

Que não teria paz enquanto não visse atrás das grades um bandido que ferisse um policial.

Uma sociedade que ainda hasteia a bandeira nacional nas suas casas nos dias de comemorações cívicas.

Um país que, para vergonha nossa, foi citado nesses dias como opção de migração para os aposentados brasileiros que percebam valor mínimo estipulado por lei, pois lá o estado, com esses recursos lhes assegura vida digna, moradia e assistência de saúde.

Enquanto isso, nosso estado, desgovernado, nem o compromisso com o funcionalismo ativo cumpre.

E calados vemos se aproximar o pleito de 2018 para consagrar uma vez mais a vitória do crime e da corrupção oficial.

Newsletter - 130 anos CMil PAINEL [27jul17] POUPEX FHE

Leia Mais



Programa Ponto a Ponto discute a crise nas Instituições brasileiras

A crise em que se encontram hoje as instituições no Brasil atinge não somente o seu funcionamento, mas também a sua legitimidade. No programa Ponto a Ponto deste sábado (22), a jornalista Mônica Bergamo e o sociólogo Antonio Lavareda conversam com Luciana Gross, professora de Direto da FGV/SP. O semanal discutirá o tema “Instituições em Crise?” e será exibido à meia-noite na BandNewsTV. No domingo (23), ganha reprise às 17h30.

Para Luciana Gross, que também é coordenadora de Pesquisa e do Mestrado Acadêmico em Direito e Desenvolvimento, que é responsável pelo Índice de Confiança na Justiça (ICJBrasil), que mede a confiança da população no Judiciário, o brasileiro não consegue distinguir qual instituição de fato está em crise. “O cidadão entende que há uma crise, que algumas instituições estão com um debate mais acalorado, mas fazer exatamente a distinção entre o Supremo Tribunal Federal ou a Procuradoria Geral da República é complicado. O que acaba afetando todas as instituições estatais, ou seja, aquelas que organizam a forma de política do Brasil”, explica.

 

Ainda no programa, Antonio Lavareda analisa pesquisa do Datafolha, realizada em junho passado, onde mostra que 83% dos brasileiros confiam nas Forças Armadas. Em segundo lugar, no grau de confiança nas Instituições brasileiras, aparece o Poder Judiciário com 73% e em terceiro, o Ministério Público/Imprensa com 71%.

 

Outro ponto analisado foi a respeito da confiabilidade no Governo Federal, que a partir de 2013 começou a apresentar uma queda, logo após as manifestações. “Mas a partir de 2015 que esse cenário piorou muito e houve uma enorme queda, que até hoje não foi revertida. Verberando também nas demais instituições brasileiras”, enfatizouGross.

 

Serviço:

 Programa Ponto a Ponto – Instituições em Crise?

Data: Sábado (22/07)

Horário: Meia-noite

Reprise: Domingo (23), às 17h30

Emissora: BandNewTV

Leia Mais



Jaboatão firma parceria com Governo Federal e Fiocruz para formular políticas de prevenção às drogas

A Prefeitura do Jaboatão dos Guararapes, em parceria com o Governo Federal e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), realiza, na sede da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Cidadania, no bairro de Piedade, encontro com profissionais com o objetivo de debater a execução do Famílias Fortes (Strengthening Families Programme), programa internacionalmente conhecido e que foi culturalmente adaptado ao Brasil para auxiliar na formulação de políticas de prevenção às drogas.

Jaboatão dos Guararapes, um dos primeiros municípios do Nordeste a optar pela implantação do programa, busca, de maneira interativa, trabalhar fatores de risco e de proteção como forma de instrumentalizar famílias para que a prevenção ao consumo de drogas e outros comportamentos de risco possa, de fato, ter efetividade.

Esse primeiro momento de sensibilização dos profissionais é essencial para que possam conhecer de perto a metodologia do programa e, assim, optar por incluir, em suas práticas profissionais, a execução da metodologia de prevenção. Após esse momento, será marcada uma formação de 20hs para os profissionais que, de fato, irão executar as metodologias. A priori, foram selecionados os Centros de Referência da Assistência Social (Cras) das localidades de Vila dos Palmares, Barra de Jangada, Alto São Sebastião e Vila Rica.

Leia Mais



ADESÃO ÀS NOVAS TECNOLOGIAS

De Cláudio de Melo Silva – Olinda/PE

O meu celular é este que está na foto, repousando na mão de vidro. Coloquei o meu nome para caso de perda, quem achar me devolver. Além da sua função normal, sempre o usei como uma “arma” contra ladrões (por isso alguns deles já sabem o meu nome). Apesar dos pedidos de parentes e amigos eu não queria comprar um desses que usam recursos tecnológicos avançados, pois durante o dia ando por lugares perigosos com o meu celular simples na mão que me custou noventa reais, bem à mostra, para que os verdadeiros malandros (os falsos são os de Brasília) vejam de longe o que eu tenho para roubar e não se aproxime.

            Analisando o argumento de um parente de que esses celulares modernos permitem que eu me comunique com os meus irmãos, filhos e netos, olhando para a imagem deles ao vivo (coisa que eu só via em filme de ficção científica de antigamente), resolvi então comprar um. Falando em filme de ficção cientifica, existe um recurso que eu acredito a ciência nunca o tornará em realidade: O teletransporte. O teletransporte ou o teleporte seria o processo de moção de objetos ou pessoas de um lugar para outro bem distante com a transformação da matéria em alguma forma de energia e sua posterior reconstituição em outro local, baseado na famosa fórmula de Einstein: E=m.c².[1]..

 

Só tem uma questão que não irá agradar a “parentada” e aos amigos presenciais e virtuais que possuem celular com whatsapp: Eu vou deixá-lo em casa e só terei tempo de fazer esses contatos com imagens aos domingos, assim que me acordar, às cinco horas da manhã. Então se preparem, pois vocês agora terão um ótimo despertador para pular da cama e fazer as tarefas domiciliares ou irem para os seus passeios bem cedinho e assim não enfrentar congestionamento no trânsito.

 

  1. Por eu estar às vezes me referindo aos políticos ladrões, uma conhecida deputada federal me excluiu dos seus contatos de emails. Por acaso eu falei alguma mentira ou a carapuça lhe caiu bem na cabeça?

Abraços a todos e um bom final de semana, acordando bem cedinho!

Leia Mais