Nos bastidores da Política

Blog do jornalista Fernando Machado

Campanha Papai Noel dos Correios, que em 2020 foi digital, realizou o sonho de quase 100 mil crianças, mesmo com todos os desafios impostos pela pandemia. Das cartinhas publicadas no blog do Noel, 95% delas foram apadrinhadas e tiveram seus pedidos atendidos. Ao todo, a Campanha dos Correios recebeu, aproximadamente, 208 mil cartas, das quais mais de 100 mil atendiam aos critérios de participação.

INSS esclarece que não procede a informação de prorrogação do prazo até março de 2021 do aumento de limite da margem para contratação de empréstimo consignado por aposentados e pensionistas do Instituto. Alerta é para que segurados tenham cuidado com notícias da internet, pois desde 1º de janeiro de 2021 a margem voltou ao percentual de 35%. Isso porque a validade dos efeitos da Medida Provisória nº 1.006/2020, foi encerrada no dia 31 de dezembro de 2020

Leia Mais

HC-UFPE/Ebserh recebe, neste sábado (23), pacientes de Manaus com Covid-19

O Hospital das Clínicas da UFPE, filial da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, estatal vinculada ao Ministério da Educação (MEC), divulga que receberá os pacientes de Manaus com Covid-19 neste sábado (23). A previsão é de que eles desembarquem no Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes – Gilberto Freyre, às 20h. No local, serão atendidos por uma equipe médica do HC-UFPE/Ebserh e, na sequência, seguem para o hospital universitário, na Zona Oeste do Recife. No total, serão 15 pacientes que irão vir de Manaus com Covid-19 uma vez que o HC-UFPE/Ebserh disponibilizou mais cinco leitos, além dos dez divulgados anteriormente.

Para recebê-los, uma força-tarefa foi montada para redefinir os fluxos, reorganizar as equipes e redistribuir os leitos. Os pacientes de Manaus irão ficar internados na enfermaria de Doenças Infecciosas e Parasitária do HC – espaço que, em julho do ano passado, passou por requalificação estrutural para garantir mais conforto e qualidade para os pacientes e profissionais.

“Estamos preparados para recepcionar os pacientes procedentes da capital amazonense portadores de Covid-19. Uma equipe do HC da UFPE estará já no aeroporto para realizar triagem do estado clínico para avaliação e encaminhamento dos pacientes para enfermaria ou UTI. Teremos a oportunidade enquanto hospital-escola de contribuirmos com a rede Ebserh e apoio dos gestores do SUS local nesta ação de caráter humanitário para acolhermos esses pacientes com o melhor que podemos oferecer: um tratamento integral e humanizado” afirmou o superintendente do HC-UFPE/Ebserh, Luiz Alberto Mattos.

O Hospital das Clínicas da UFPE/Ebserh possui vasta experiência no tratamento de pacientes com covid-19. De abril a dezembro de 2020, foram atendidos 403 pacientes com o novo coronavírus; foram realizadas dezenas de treinamentos e atualizações com as equipes; foi disponibilizado acesso gratuito a ferramentas que ajudam nas tomadas de decisões clínicas, além do desenvolvimento de atividades no campo do ensino, da pesquisa e da extensão. Atualmente, 58 estudos ligados à Covid-19 estão sendo feitos no hospital universitário, entre as mais de 100 pesquisas desenvolvidas pela UFPE sobre o assunto.

O HC também tem investido no teleatendimento para Covid-19: foram 2.282 teleconsultas e 3.559 teleorientações feitas por meio do Núcleo de Telessaúde da UFPE (Nutes) – unidade de saúde digital do HC. O HC-UFPE é um hospital universitário de grande porte e alta complexidade, que conta com quase três mil profissionais, distribuídos nas áreas médica, assistencial e administrativa, além de 330 residentes.

Operação Manaus
Desde o último fim de semana, o MEC têm recebido pacientes de Manaus por meio dos hospitais universitários federais da Rede Ebserh, com mais de 100 pessoas já acolhidas. Com a coordenação do Ministério da Saúde (MS), uma rede de apoio foi criada em todo o país para receber os pacientes de Manaus com Covid-19. Na quinta-feira (14), a Ebserh/MEC encaminhou um ofício ao MS disponibilizando, aproximadamente, 150 leitos, distribuídos em nove hospitais universitários federais que fazem parte de sua rede hospitalar a fim de ajudar o estado. Dos 150 leitos, 22 são de UTI e os demais de enfermaria. No sábado, esse número foi ampliado para 205 leitos.

Os primeiros chegaram em Teresina (PI) por volta de 12h da última sexta-feira (15). Em São Luís (MA), a chegada dos primeiros pacientes foi à noite, mas outros chegaram posteriormente à mesma unidade. No Distrito Federal, os pacientes foram recebidos na madrugada de domingo (17). Na segunda-feira (18), mais pacientes foram acolhidos no Hospital Universitário Onofre Lopes (Huol-UFRN/Ebserh), em Natal (RN), no Hospital Universitário Lauro Wanderley (HULW-UFPB/Ebserh), em João Pessoa (PB) e no Hospital das Clínicas de Goiânia (HC-UFG/Ebserh).

Além das cinco unidades, toda a infraestrutura necessária foi organizada com leitos exclusivos para executar a ação no Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiânia (HC-UFG/Ebserh), no Hospital Universitário Walter Cantídio da Universidade Federal do Ceará (HUWC-UFC/Ebserh), em Fortaleza (CE), no Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco (HC-UFPE/Ebserh), no Recife (PE), e no Hospital Universitário Prof. Alberto Antunes da Universidade Federal de Alagoas (Hupaa-Ufal/Ebserh), em Maceió (AL).

 
(Texto: Unidade de Comunicação Social do HC-UFPE/Ebserh e Coordenadoria de Comunicação Social Ebserh sede).
 

Leia Mais

Uma a cada 1.000 pessoas morreu de Covid-19 em todo o Brasil

O Brasil acaba de bater um recorde preocupante. Atingimos o que a matemática chama de mais um número tétrico. Trata-se de um dado estatístico que causa espanto, horror. Ao passarmos de 214.000 óbitos em função do novo coronavírus, o ano inicia com o alerta vermelho ligado.

Mas é um engano supor que o vírus e suas mutações são nossos únicos adversários. O negacionismo também pode matar. É o que afirma Denny Heide, terapeuta do portal Meu Astro. “A discussão tomou um viés político e isso é preocupante. Não importa se a pessoa é de direita, centro ou esquerda. O fato é que existe uma doença circulando por nossas cidades e que não há tratamento além da vacina. Do Oiapoque ao Chuí, muita gente ainda não acredita nisso”, preocupa-se.

As mutações do coronavírus

Como se não bastasse a pandemia, o desrespeito às normas de isolamento e/ou distanciamento social acabam por agravar a situação. Já que essas atitudes fazem com que se proliferem variantes do vírus. As chamadas mutações tornam a Covid-19 ainda mais difícil de ser extinta. Em resumo: enquanto houver aglomerações, a erradicação da doença estará cada vez mais distante.

As estatísticas do Consórcio de Veículos de Imprensa são alarmantes. No Rio, cerca de uma a cada 600 pessoas teve sua vida interrompida pela Covid. Já em São Paulo, foi uma a cada 860 pessoas. Mas a tendência de alta é percebida em todo o território nacional. Com uma nova mutação em Manaus, por exemplo, o Brasil continua perdendo vidas. Crise agravada pela falta de oxigênio hospitalar na região.

“Cerca de 10% das mortes de todo o mundo ocorreram em território brasileiro. E isso faz com que as pessoas achem que o Brasil já chegou ao fundo do poço. Infelizmente, o poço parece ser ainda mais profundo”, explica Denny.

Importância do bem-estar

Depois de quase um ano de apreensão e notícias preocupantes, fica muito difícil manter um dia a dia minimamente equilibrado. E a síndrome respiratória é apenas um dos problemas. “Nosso bem-estar merece atenção. Caso contrário, sairemos todos doentes, independentemente do vírus”, alerta.

O profissional – que também realiza analises astrológicas e energéticas – defende a importância de investir tempo em autoconhecimento, atividades lúdicas e práticas espirituais.

“Como o cotidiano já traz uma gama de desafios e limitações, é preciso fortalecer a conexão com nosso eu interior, o que muitas pessoas simplesmente ignoram. E vale usar e abusar de todas as ferramentas disponíveis, desde a cura interior – alinhamento energético, carta natal, ioga, meditação, religiosidade, teatro, música, canto, dança… O céu é o limite”, diz.

Denny explica, ainda, que o Brasil passa por um momento importante em termos energéticos e espirituais. “Entramos simbolicamente na chamada Era de Aquário, a partir do fenômeno astronômico Estrela de Natal, que alinhou Júpiter e Saturno em 2020. Então, como é típico da mente aquariana, é preciso transcender a realidade pura e simples. Além de buscar uma mudança nos nossos paradigmas. Um desafio e tanto”, justifica.

Terapias que dispensam a presença física

Em tempos de pandemia, torna-se necessário conhecer ferramentas terapêuticas que não necessitem da presença física. “Embora alguns exames ou práticas não dispensem o contato direto com o paciente/cliente, muitas terapias tradicionais, complementares ou alternativas são realizadas por meio da internet. O que pode ser transformador e confortável para muitas pessoas”, pondera.

O profissional alerta, entretanto, para que todo e qualquer tratamento da área da saúde continue e que seja seguido à risca. E não descarta uma abordagem mais abrangente: “A ciência avançou e avança a cada dia. Mas é preciso salientar que existe uma série de outros conhecimentos que vão além do nosso mundo cartesiano, físico e paupável. E o ser humano precisa ser compreendido neste contexto holístico. Nos meus atendimentos terapêuticos, esotéricos ou astrológicos, a presença física não faz a menor diferença porque eu vou acessar um campo imaterial, energético e até espiritual”, explica.

O terapeuta – que atende clientes do Brasil, Portugal, Reino Unido, Estados Unidos, Espanha, entre outros países e ainda conta com legado de seguidores no Instagram – preparou algumas dicas terapêuticas gratuitas para esse momento delicado. “São como as cinco pontas de uma estrela e funcionam em conjunto”, ressalta Denny.

1 – Saiba pedir ajuda

Denny garante que é muito importante reconhecer as próprias limitações. “Muita gente sofre sem saber o porquê. E isso é mais comum entre o público masculino. Nós, homens, temos mais dificuldades em reconhecer que precisamos de auxílio. Já que isso é entendido como impotência. Mas é exatamente o contrário”, diz.

2 – Fuja da polarização política

Em um momento de crise, é preciso saber priorizar. É o que garante o terapeuta: “pouco importa o posicionamento político ou ideológico de cada pessoa. Fato é que todos nós estamos diante dos mesmos desafios. Então é perda de tempo brigar com quem nos rodeia. O meio-termo é sempre o melhor caminho. Todos desejamos o melhor”, explica.

3 – Autoconhecimento é para todos

Como o termo autoajuda ficou extremamente desgastado, muitas pessoas interpretam isso como blá, blá, blá. Denny garante o contrário. “Autoconhecimento é a chave. É o único caminho para sofrer menos diante de tamanha crise. O Mapa Astral Natal, por exemplo, revela como e por que uma pessoa é diferente da outra. Até as mães ou pais podem agir de forma distinta com cada filho, em função do mapa natal dos pequenos”, diz o terapeuta do portal Meu Astro.

4 – Mantenha a sua fé


A ciência já comprovou que pessoas mais otimistas – ou que mantêm a fé ou uma disciplina espiritual – têm mais chances de reagir bem a tratamentos de saúde. Mas isso precisa ser bem compreendido. “É preciso se cuidar, manter práticas de higiene e prevenção em relação à disseminação do vírus. Mas é igualmente importante manter  uma postura transcendental. A escolha de uma religião ou prática espiritual fica a cargo de cada pessoa. O importante é crer em algo que eleve a alma e conforte”, explica.

5 – Você é um ser emocional

Acordar, trabalhar e voltar para casa tem sido a rotina de muitos de nós. Mas esse comportamento cobra um alto preço. “Ao ignorar o poder das emoções, nós estamos cometendo um erro prático. Não adianta viver sem levar em consideração que somos seres emocionais. Ao notar uma alteração nas reações emocionais – ou a ausência delas – é sempre importante procurar ajuda especializada rapidamente”, garante. 

Assessoria Meu Astro – www.meuastro.com.br

Leia Mais