COMUNIDADE, VENHA TESTEMUNHAR A HONRA OU A DESONRA…

Sr. Redator,

Referente ao Policial Bahiano assassinado pelos colegas. Desde quando as Policias Militar, polícias geral, tem treinamento ou sabe distinguir “alhos de bugalhos”. Acreditamos, recebem o treinamentozinho na formação, e, duvido que voltem pra reciclagem, treinar tiro, sequer condicionamento físico (vide Arcanjo Rebelde), evidenciado na protuberância de suas barrigas. Cada um faz por interesse particular.

Cada um, se vira como pode. Até por uma questão de corporativismo, porque matar o COLEGA? A lei não incrimina ou ameniza penas, para os que agem passionalmente, por forte coação, violenta emoção ou sob efeito de drogas? Segundo o Comando do Bope, “buscou as melhores técnicas internacionais, pra lidar com o caso”. Mas, esqueceu que seu comandado, não poderia se reabastecer de munição e avisar ao sniper, acertá-lo, em área não letal. Foi morto, por apresentar discurso fora da curva, dos esquerdopatas que comandam o Estado?

Talvez, não terá sido ORDEM, pra eliminar o DISSIDENTE ou “atrapalhador” dos planos, pautas e discursos lacradores? Lá, como na Terra de beleza, soberba, estendal, a autoridade do Governador não pode ser contestada, abalada. Nao é assim que Stalin fazia com quem discordava do Regime? Matava ou mandava pra Gullag!

Disse o Soldado Wesley: “Comunidade, venha testemunhar a honra ou a desonra de um policial militar do Estado da Bahia.” Foi humilhado. Pagou com a vida, a defesa da Sociedade! Isto ecoará na história!

Roberto Cortez – rscortez47@yahoo.com.br

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *