Levantamento aponta crescimento na participação dos catadores e municípios no setor de reciclagem do país

 
A pesquisa Ciclosoft 2018 mostra os reflexos do amadurecimento do setor e do investimento nos programas de coleta seletiva
O Compromisso Empresarial para Reciclagem (CEMPRE) acaba de lançar a versão da Pesquisa Ciclosoft2018, um levantamento sobre os avanços da coleta seletiva em cidades brasileiras, indispensável para o desenvolvimento do setor de reciclagem no país. Desenvolvido a cada dois anos, o estudo dessa vez revela um crescimento de 6%, em relação a 2016, na participação das cooperativas de catadores, apoiados com maquinários, galpões de triagem, ajuda de custo com água e energia elétrica, veículos, capacitações e investimento em divulgação e educação ambiental.

Para Victor Bicca, presidente do CEMPRE, esse avanço representa um amadurecimento em relação aos agentes mais envolvidos no processo de reciclagem. “Além de todo o esforço do trabalho dos catadores, é visível uma evolução nos investimentos do setor privado e no apoio do setor público nas ações de coleta seletiva”, explica o executivo.

A pesquisa que consiste no levantamento de dados por meio do envio de questionário às Prefeituras e visitas técnicas, tem como objetivo demonstrar quais municípios contam com programas estruturados de coleta seletiva. Dessa forma, também foi possível apontar um aumento de 16% no número de municípios brasileiros que possuem esses programas. Atualmente, o país conta com 1227 cidades (cerca de 22% do total), e em 2016 esse número era equivalente a 1055.

No Brasil, cerca de 35 milhões de pessoas tem acesso a programas municipais de coleta seletiva. A partir de uma divisão regional, foi possível constar que a concentração dos programas permanece nas regiões Sudeste e Sul do país. Do total de municípios brasileiros que realizam esse serviço, 87% estão situados nessas regiões. Sendo assim, 45% no Sudeste, seguidos de 42% no Sul, 8% no Nordeste, 4% no Centro-Oeste e apenas 1% no Norte do país.

Além disso, o estudo também revelou que os programas de maior êxito são aqueles em que há uma combinação dos modelos de coleta seletiva. A maior parte dos municípios realiza a coleta de porta a porta (80%), outros por meio de pontos de coleta voluntária (45%) e por cooperativas (61%). Os municípios que utilizam a coleta seletiva dos resíduos sólidos municipais feita pela própria Prefeitura representam 39% do total e 36% contratam serviços de empresas particulares.

Já com relação aos materiais recicláveis, em peso, as aparas de papel/papelão continuam sendo os tipos mais coletados por sistemas municipais de coleta seletiva, seguidos dos plásticos em geral, vidros, metais e embalagens longa vida.

Para Victor, nesses oitos anos, após a aprovação da Política Nacional de Resíduos Sólidos, a gestão do lixo no país passou por grandes modificações. “Com o cenário econômico do país atualmente, é muito positivo que não tivemos um retrocesso nos programas de coleta seletiva. Dessa forma, o nosso desafio agora será continuar com as iniciativas para acabar com os lixões espalhados pelo país, aumentar a abrangência da reciclagem e assim evitar os impactos ambientais e sociais”, finaliza o executivo

http://drive.google.com/file/d/1VwPAgvP3ARCjw40sGhGhDHJzDPa-DiY8/view?usp=sharing

Anexos

Pesquisa_Ciclosoft_2018.pdf

Sobre o CEMPRE

O CEMPRE é uma associação sem fins lucrativos, que trabalha para conscientizar a sociedade sobre a importância de reduzir, reutilizar e reciclar lixo por meio de programas de conscientização. A entidade utiliza-se de publicações, pesquisas técnicas e seminários, e mantém para consulta pública um rico banco de dados sobre o assunto em sua sede na capital paulista. Fundado em 1992, o CEMPRE vem sendo mantido por contribuições de empresas privadas de diversos setores. Entre elas estão: Adm, Ajinomoto, Ambev, Arcor, Auducco, Braskem, Brf, Bunge, Cargill, Coca-Cola, Colgate-Pamolive, Danone, Femsa, Heineken Brasil, Hershey’s, Hp, Klabin, Mcdonalds, Mondelez, Nestlé, Nestlé Waters, Owens Illinois, Pão De Açúcar, Pepsico Do Brasil, SC Johnson, Sig Combibloc, Suzano, Tetra Pak, Unilever Brasil, Verallia e Vigor.

 

Weber Shandwick

Twitter / Facebook / Youtube: Weber Shandwick Brasil

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Current ye@r *