Gestores fazem visita de monitoramento nas obras do Canal do Fragoso

Serviço tem participação das três esferas de governo

 

 Uma das maiores obras em execução no município de Olinda conta com o monitoramento constante do prefeito, Professor Lupércio. Em uma vistoria no Canal do Fragoso, nesta segunda-feira (16.09), o gestor esteve acompanhado pelo presidente da Companhia Estadual de Habitação e Obras, Bruno Lisboa; e pelo deputado federal Augusto Coutinho (SD), que é coordenador da bancada pernambucana na Câmara Federal.

Na pauta, além do avanço da intervenção, que deve ter o primeiro trecho concluído no primeiro semestre de 2020, esteve a articulação dos presentes no intuito de captar recursos federais para a segunda etapa do projeto.

A obra é realizada pelo Governo do Estado. Nesta primeira etapa está sendo realizado o revestimento de 2,3 km do Canal do Fragoso e a construção de oito pontes, passando por bairros como Jardim Fragoso, Casa Caiada e Jardim Atlântico. A segunda será das proximidades da Pizzaria Atlântico até a Ponte do Janga.

Lupércio lembrou que a Prefeitura já está com máquinas e funcionários trabalhando na limpeza do segundo trecho do Canal do Fragoso. “É uma obra muito grande e que precisa contar com essa integração. Desde o início da nossa gestão estamos juntos neste trabalho que irá beneficiar e muito a vida dos olindenses”, afirmou.

A intenção é que a bancada federal pernambucana se una em prol da liberação de recursos, como explica Augusto Coutinho. “A gente sabe da importância desta obra e ao mesmo tempo do grande volume de investimentos que é preciso”, destacou.

A Prefeitura de Olinda também realiza o revestimento de 800 metros do Canal Bultrins/Fragoso. Com orçamento de R$ 13.136.215,77 do Ministério das Cidades e outros R$ 657.771,39 de contrapartida da Prefeitura de Olinda, a intervenção tem 12 meses como prazo para conclusão.

Bruno Lisboa afirmou que a conclusão deste primeiro trecho está prevista para o primeiro semestre de 2020. “É uma obra complexa, com muitas desapropriações, mas estamos evoluindo sempre nos trabalhos. Em breve estará tudo concluído”, frisou.

Comunicação Olinda

Leia Mais



BANQUETE DE ILUSÕES/Fátima Quintas

Recomeço. Tenho o ímpeto de renovar-me, de ignorar o que sou e de conceber novos lampejos. Olho o tradicional armário, desprezo todas as vestes. Quero imbuir-me de um excêntrico Eu. Mudarei. Deixarei a mochila lá atrás e reformularei caminhos fascinantes. A pé, pela estrada da vida, não aceitarei rumo definido, seguirei na correnteza de espaços que não conheço. Viajarei. No primeiro pouso, tirarei os sapatos, andarei em descompasso, sem prévias definições. Não me perguntem para onde vou. Eu própria não sei. Assumo o destino da minha vontade. Que todos os desejos se realizem, o que me apetece é uma paisagem livre de desenhos previamente traçados.

Talvez o trapézio que procuro ainda não tenha sido definido. Pouco importa. Usarei da imaginação para realizar o desafio de não me Ser. Irei a todas as festas, dançarei tango, samba, valsa, bolero, estarei livre de compromissos, subirei montanhas, traçarei febris horizontes, sequer planejarei o instante a seguir. Apraz-me usufruir de múltiplas sensações, quase um levitar por entre ares instigantes. Sem planos antecipados, estarei ora nas nuvens, ora na solidez da terra, a deixar-me confiar nos meus desvarios: uma hedonista, sem regras nem limites; lançada aos mares, ao embalo do instinto, quase uma insana em busca da felicidade. Acolherei todas as gentes, sem a menor discriminação. Que a alegria se fortaleça longe de possíveis regramentos.

E o minuto passou tão de repente que não dei conta de sua velocidade. Os pensamentos geraram adoráveis delírios. O faz-de-conta pareceu tão extremo que estanquei diante do impossível. Tenho o sentimento de que vivi enquanto elaborei frases quase sem nexo. Logo eu, que me vejo afeita aos pequenos nadas da rotina! Ah quem me dera desapegar-me das lições da infância! Obediente e quase em permanente retiro. Agora, ousarei divagar mais do que posso. Entretanto, o som do vento forte me chama à realidade. Eis-me prisioneira dos afazeres do dia a dia, a cumprir os rigores tal qual uma religiosa em devoção plena.

O sonho durou pouco, porém me enfeitiçou. E confirmou que a vida deve ser pautada em espantos colossais. Confesso: toda a minha construção advém de excêntricos inventos. Raramente elejo o racional como versão primeira. Opto pelas quimeras e percorro um cotidiano ameno que me permite o êxtase da paixão. Gosto de me envolver entre as mais diversas utopias; então, sou capaz de convidar a todos para o banquete de ilusões. Tenho pressa, caro leitor, de doar-me ao ofício da ficção.

Fátima Quintas é da Academia Pernambucana de Letras-fquintas84@terra.com.br

Leia Mais



DESCASO CONTINUA DENTRO DE HOSPITAL

Firmino Caetano Júnior, jornalista

Um imenso buraco se encontra aberto dentro do hospital Getúlio Vargas, no local onde fica o estacionamento, jorrando uma água muito suja, causando um mal cheiro fora do comum. Tem um cano muito grosso por onde a água tenta escoar e não consegue. Fica estagnada no local e por isso a cada dia que passa, o descaso continua e governo do Estado de Pernambuco nada faz para solucionar o problema. Haja desperdício e falta de respeito para com os pacientes. Foto: Firmino Caetano Junior. Recife-PE.

Leia Mais



1 em cada 2 brasileiros já pensou em se suicidar

Pesquisa revela também que 72% das pessoas no Brasil conhecem alguém que já tentou ou cometeu suicídio

51% do total de brasileiros já perderam alguém vítima de suicídio

São Paulo, 16 de setembro, 2019 – Você sabia que para 83,1% da população brasileira, a solidão é o mal do século, mesmo vivendo em um mundo superconectado? Um estudo realizado com mais de mil e quinhentos entrevistados em todo o Brasil pela Hibou, empresa de pesquisa e monitoramento de mercado, apontou números alarmantes sobre depressão e suicídio no país em 2019.

Segundo a pesquisa, 80% dos brasileiros conhecem alguém que esteja atualmente sofrendo de depressão e 93,5% do total de entrevistados já escutou alguém dizer “isso é frescura” para uma pessoa com depressão e 47,1% concordam que o Instagram deixa as pessoas mais deprimidas.

92,88% acreditam que o melhor canal de ajuda para a depressão é apoio de psicólogos ou psiquiatra; para 88,6% da população, dividir os problemas com os amigos também ajuda, além do auxílio médico, e 93,7% das pessoas dizem que a família é essencial na busca da melhora. Mas 51,1% dos entrevistados acreditam que só há melhoria da depressão com o uso de medicamentos.

É quase um consenso: 99,81% das pessoas acreditam que a depressão pode levar ao suicídio no Brasil. E muitos já conhecem essa realidade pessoalmente ou por pessoas próximas.

72,69% dos brasileiros conhecem alguém que já tentou ou cometeu suicídio. Entre esses, também foi revelado que conhecem em média entre duas e três pessoas que tentaram ou cometeram o ato.

Dos entrevistados que responderam conhecerem alguém que tentou cometer suicídio, 70% afirmaram que a pessoa não sobreviveu. Isso significa que 51% do total de entrevistados já perderam alguém vítima de suicídio.

A média da idade das pessoas que tentaram ou cometeram suicídio ficou entre 26 e 27 anos, sendo a maioria pessoas da família ou amigo próximo (54%), seguido de amigo de convivência (29,76%), familiar distante ou conhecido (29,33%), e colega de trabalho (16,09%).

É preciso ficar atento aos sinais de que alguém está com um comportamento suicida. Segundo os entrevistados, 36% disseram que os suicidas demonstraram desinteresse total; 34,91%, que se afastaram de interações sociais; 27,16%, que ficaram mais silenciosas que o normal, e 20,43%, que começaram a dormir muito. O que dificulta a situação é que 25% disseram não terem notado nenhum sinal de comportamento suicida por parte da pessoa.

48,73% da população afirmam ainda que já pensaram em tirar a própria vida – aproximadamente uma a cada duas pessoas. Destes, quase metade (45,46%) disse que não buscou ajuda para tirar os pensamentos da cabeça, mas outros disseram procuraram tratamento com psicólogos (21,83%), psiquiatras (20,83%) ou terapias alternativas (16,5%). 19,92% reportaram ainda buscar a ajuda de amigos, e 14,09%, conversas com a família.

Dos respondentes que já pensaram em cometer suicídio, 72,08% afirmaram que não possuem mais esse tipo de pensamento, mas 27,92% disseram que ainda pensam em tirar a própria vida.

Quando questionados sobre os fatores que acreditam que contribuem para o aumento de casos de depressão nos últimos anos; 61,89% dos brasileiros dizem que é a falta de perspectiva econômica e o desemprego; 60,09% atribuem à falta de expectativa de vida, segundo eles, o excesso de informação gera confusão interna; 51,81% afirmam serem dúvidas existenciais; 51,68% atribuem ao aumento do uso de internet e redes sociais; 45,27%, cobranças familiares; 28,77%, sedentarismo e falta de exercícios; 25,53%, queda na religiosidade; 12,52%, jogos eletrônicos e RPG; 9,78%, o conteúdo de filmes e séries; 8,66%, as rixas entre amigos e familiares por motivos políticos; 8,47%, hábitos alimentares e 4,55% das pessoas acreditam que pelas mudanças climáticas e desafios ecológicos.

Sobre a Hibou

A Hibou é uma empresa especializada em pesquisa e monitoramento de mercado e consumo, existente há mais de 11 anos. A Hibou trabalha o tempo todo com informação e olhares inquietos sempre do ponto de vista do consumidor. A empresa produz conteúdo qualificado utilizando ferramentas proprietárias para aplicação de pesquisas e análises de profissionais com mais de 20 anos de experiência. A Hibou oferece pesquisas qualitativas, quantitativas; exploratórias; profundidade; de campo; duble de cliente; deskresearch; monitoramento de comportamento; presença de marca; expansão de região; expansão de mercado para produtos e serviços; teste de produto e hábitos de consumo.www.lehibou.com.br

Desiree Hamuche Montes, jornalista
(11) 956582009

Leia Mais



Cadeirantes terão entrada antecipada no Black Day

O Caruaru Shopping estará realizando, nos dias 18 e 19 de setembro, a 7ª edição do Black Day. Com o objetivo, mais uma vez, de oferecer total conforto aos cadeirantes e pessoas com dificuldades de locomoção motora , eles poderão entrar mais cedo no centro de compras e convivência, para que possam se posicionar na frente das lojas em que desejam comprar e esperar, com calma, a abertura no horário previsto.

“Os cadeirantes poderão entrar a partir das 7h30 e têm direito a um acompanhante, cada. Para isso, precisa apenas procurar um segurança na entrada do shopping para que o mesmo libere a sua entrada”, explicou o gerente de Marketing, Walace Carvalho.

O Caruaru Shopping está localizado no Caruaru Shopping, na Avenida Adjar da Silva Casé, 800, Bairro Indianópolis.

Mais informações:

Massa Comunicação & Assessor

Leia Mais