RAPIDINHAS: LOGICA DAS PREFEITURAS

De Roberto Cortez, Recife-PE

Sr. Redator,

Nos morros e periferia, em invasão, o cidadão começa a construir em local de risco. É possível que o fiscal passe. Se positivo, recebe “ordem” do Vereador para deixar a casa “subir”, ou pega um “toco” pelo silêncio. Quando há o desabamento, soterramento, inundação, as Prefeituras chegam rápido, com todas ajudas, que vai de cesta básica, abrigo, contenção da barreira, defesa civil e valor de aluguel social.
Tudo no intuito de mostrar serviço “prefeitural”. O Contribuinte é chamado duas vezes pra meter a mão no bolso. Uma obrigado, com impostos e outra por razões humanitária. Não seria melhor que as providências chegassem antes das construções irregulares concluidas? Seria mais econômico e, SALVARIA VIDAS! Tudo tem que passar pelo miserável e infame viés politico. Os mais pobres terão que, sempre, passar por isto. Haverá um dia em que a lei criminal vá alcançar os Senhores Prefeitos por HOMICIDIO E MALVERSAÇÃO DE DINHEIRO PÚBLICO.

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Current ye@r *