Teatro da Vida (Causos) e Poesias

Solteiro” “- Recentes pesquisas científicas comprovam que Cristovão Colombo só descobriu a América porque era solteiro. Pois, se fosse casado, seria obrigado a ouvir poucas e boas da sua mulher pra lá de ciumenta. E certamente, teria desistido: – E por que é que você tem que ir? Por que não mandam outro? – Você não conhece nem a minha família e quer ir descobrir outro mundo? – E só vai homem nessa viagem? Acha que sou idiota? – E por que, eu não posso ir? – Desgraçado, não sabe mais o que inventar pra sair de casa? – Se cruzar esta porta, eu vou embora para a casa da minha mãe! – Quem é Pinta? E quem é essa tal de Nina? E essa Maria, f.d.p. que ainda se diz Santa? – Tinha tudo planejado, né? – Já me disseram que você vai mesmo é se encontrar com umas índias! Pensa que me engana? – A rainha Isabel vai vender suas joias para você viajar? Acha que sou idiota ou o quê? O que é que você tem com essa piranha velha? – Pode tirar o seu cavalinho da chuva. Você não vai à porra de lugar nenhum!

 

Poesias

 

 

* Meu pai, Zeca

 

 *Robson Sampaio

O manto da morte sobressaiu-se

na escuridão da noite.

Ao amanhecer,

a tua alma confundiu-se com

esparsas nuvens.

O lacrimejar dos olhos não

me transformou em correntezas,

mas o meu coração inundou-se

com um mar de saudades,

pai…

 

* Jornalista, poeta, da Academia Recifense de Letras/Cadeira 22- Patronesse: Thargélia Barreto de Menezes, e da União Brasileira de Escritores (UBE/PE).

 

 

Eu sou Capibaribe

 

 *Robson Sampaio

 

Dos mangues do rio arranquei

a carne da sobrevivência:

as iguarias das mesas das sirigaitas.

 

Das águas do rio tirei

o som da flauta;

a composição dos pássaros,

a sinfonia de todos os cânticos.

 

Vim de muito longe,

passei por Beberibe;

eu sou recifense,

eu sou Capibaribe.

 

Nas correntezas do rio embalei

os nossos sonhos,

o mergulho profundo:

ora vida, ora morte.

 

Vim de muito longe,

passei por Beberibe;

eu sou recifense,

eu sou Capibaribe.

* A Zé da Flauta

* Jornalista, poeta, da Academia Recifense de Letras/Cadeira 22- Patronesse: Thargélia Barreto de Menezes, e da União Brasileira de Escritores (UBE/PE).

 

Entardecer

 

 

 *Robson Sampaio

 

O mistério do entardecer no verão recifense

ilumina o Capibaribe e reflete a alma:

Pernambuco.

O mistério do entardecer no verão recifense

anuncia o som dos clarins de Momo:

Passo e frevo.

O mistério do entardecer no verão recifense

sugere águas mornas e areias quentes:

Azul do mar.

O mistério do entardecer no verão recifense

reacende o calor das mulheres que brincam de sedução:

Vontades ardentes.

 * Jornalista, poeta, da Academia Recifense de Letras/Cadeira 22- Patronesse: Thargélia Barreto de Menezes, e da União Brasileira de Escritores (UBE/PE).

 

Morte e vida?  

 

 *Robson Sampaio

 

A vida teima em ser vivida

– Morte e sobrevida

A terra revolvida,

mãos e faces doloridas,

ninguém deixa de sobreviver.

Ah, isso é que é a vida?

* Jornalista, poeta, da Academia Recifense de Letras/Cadeira 22- Patronesse: Thargélia Barreto de Menezes, e da União Brasileira de Escritores (UBE/PE).

 

Nós…

 *Robson Sampaio

 

O sol

A lua

O mar

O sonho

O amor

A Vida

A morte

Nós…

* Jornalista, poeta, da Academia Recifense de Letras/Cadeira 22- Patronesse: Thargélia Barreto de Menezes, e da União Brasileira de Escritores (UBE/PE).

 

 Povoado de amor

 *Robson Sampaio

 

Quero povoar os teus sonhos

para evitar que as tuas ilusões

sejam despovoadas.

E na fusão de “nós-povo”,

formarmos um povoado de amor.

* Jornalista, poeta, da Academia Recifense de Letras/Cadeira 22- Patronesse: Thargélia Barreto de Menezes, e da União Brasileira de Escritores (UBE/PE).

 

 

O passado…

 *Robson Sampaio

 

No outro lado da rua

está você.

Vejo-a, porém,

não sei mais o que

somos.

 

Marido? Amante? Amigo?

 

Somos o passado,

a eterna busca

do querer,

a solidão da rua

deserta…

* Jornalista, poeta, da Academia Recifense de Letras/Cadeira 22- Patronesse: Thargélia Barreto de Menezes, e da União Brasileira de Escritores (UBE/PE).

  

rsampaioblog@gmail.com

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Current ye@r *