Teatro da Vida(Causos) e Poesias

O Doutor pede o esperma de um homem de 85 anos ūüĎīūüŹĽ como parte do seu exame anual, d√°-lhe um frasco e diz: “Leve este frasco para casa e traga-o amanh√£ com a amostra de esperma.” No dia seguinte o senhor de 85 anos volta ao consult√≥rio do doutor e lhe entrega o frasco t√£o vazio e limpo como no dia anterior. O doutor pergunta o que aconteceu e o homem explica-lhe: “Primeiro tentei fazer o trabalho com minha m√£o direita e nada. Depois, tentei a minha m√£o esquerda, e ainda nada.¬† Depois pedi ajuda √† minha mulher. Ela tentou com a m√£o direita, com a m√£o esquerda,¬† e ainda nada.¬†Ela disse: eu sei como. E tentou com a boca, primeiro, com os dentes postos, depois tentou sem os dentes,¬† e ainda nada. Veio minha nora e disse que ia ensinar como. Tentou por um bom tempo em posi√ß√Ķes diferentes e cada vez mais bizarras, e n√£o houve resultado.¬†Mesmo chamando a Susi, a vizinha do lado…¬†E ela tentou primeiro com as duas m√£os, depois, debaixo do bra√ßo e at√© apertando entre os joelhos.¬†Mas ainda nada…”O Doutor estava em estado de choque: “Voc√™ pediu √† sua nora √† sua vizinha?…” E o velho paciente respondeu:”Sim, Dr., nenhum de n√≥s conseguiu abrir o frasco.”Kkkkkkkkkkk. 20 Pai Nossos por pensar mal. N√£o me devolva. Estou rezando!!! (Internet).

Saudade de você

*Robson Sampaio

Saudade?

Sim, saudade

do teu corpo.

Só de teu corpo?

N√£o.

De tua boca

tua pele, teu odor,

teu olhar.

Saudade

de tua voz, teus sussurros,

teus abraços, teus gemidos.

Saudade

de teu sorriso, tuas m√£os,

tuas brigas,

do teu jeito se ser.

Saudade,

grande, imensa, descomedida,

a sangrar no meu peito e

a calar a minha voz.

Saudade,

de voc√™…

*À Lucinha (minha mulher).

* Jornalista, poeta, da Academia Recifense de Letras/Cadeira 22- Patronesse: Thargélia Barreto de Menezes, e da União Brasileira de Escritores (UBE/PE).

Desabafo              

*Robson Sampaio

Eu queria falar

Faltaram palavras

Eu queria gritar

Faltou voz

Eu queria chorar

Faltaram l√°grimas

Eu queria sorrir

Faltou alegria

Eu queria ser bom

Faltou compreens√£o

Eu queria ser mau

Faltou coragem

Eu queria ter fé

Faltou crença

Eu queria ser feliz

Faltou você

* Jornalista, poeta, da Academia Recifense de Letras/Cadeira 22- Patronesse: Thargélia Barreto de Menezes, e da União Brasileira de Escritores (UBE/PE).

Ah, essa mulher bonita!

*Robson Sampaio

Ah, essa mulher bonita!

Inventa e reinventa modas.

Primeiro, ajustando o corpo

e, depois, a alma,

só para nos agradar.

Por isso, suave é o dia,

doce √© essa mulher…

Sorriso delicado, ar atrevido,

espírito irreverente, misto de

mulher e menina, um quê de moleca

com um qu√™ de sensual…

Enigmas em sintonia

com o verde-azul do mar…

Ah, essa mulher bonita!

Por isso, suave é o dia,

doce √© essa mulher…

* Jornalista, poeta, da Academia Recifense de Letras/Cadeira 22- Patronesse: Thargélia Barreto de Menezes, e da União Brasileira de Escritores (UBE/PE).

Tigresa

*Robson Sampaio

Os olhos da tigresa

s√£o esmeraldas incrustadas

nas √°guas verdes do mar.

Luzes que refletem o brilho

dessa mulher, porém, não

decifram os enigmas da sua

alma…

 

Os olhos da tigresa

são lanças flamejantes de desejo

e de paix√£o,

a rasgar entranhas e a ferir

com a dor bendita encravada

no cora√ß√£o…

 

Os olhos da tigresa s√£o

a força felina de cada gesto,

a expor também a graça e a leveza,

enquanto o seu corpo resplandece

toda a beleza das fêmeas sensuais

e só domadas pelas carícias

do amor…

* Jornalista, poeta, da Academia Recifense de Letras/Cadeira 22- Patronesse: Thargélia Barreto de Menezes, e da União Brasileira de Escritores (UBE/PE).

Maria… ¬†

*Robson Sampaio

 

O quadro pintado

em preto e branco

n√£o tinha o colorido

da vida terrena e,

sim, o negro da noite

e o clar√£o do dia.

Mas aquela mulher,

com a criança nos braços,

bem que poderia ser

a Virgem Maria

* Jornalista, poeta, da Academia Recifense de Letras/Cadeira 22- Patronesse: Thargélia Barreto de Menezes, e da União Brasileira de Escritores (UBE/PE).

Mulher

*Robson Sampaio

Mulher-menina

Mulher-amiga

Mulher-briga (ou intriga)

Mulher-amada (ou desejada)

Mulher-amor,

Ah, o amor!

Amor-gostoso

Sem aval (ou endosso)

Amor-verdade

Amor-instinto

Amor-paix√£o

Amor-amor

Mulher-saudade

* Jornalista, poeta, da Academia Recifense de Letras/Cadeira 22- Patronesse: Thargélia Barreto de Menezes, e da União Brasileira de Escritores (UBE/PE).

M√£e…¬†¬†

*Robson Sampaio

Palavra-ventre

Palavra-menina

Palavra-moça

Palavra-mulher

Palavra-vida

Palavra-luz

Palavra-Santa

Todas mulheres

Todas Marias

Todas Luzias

Todas Santas

Santas Marias

Marias e Luzias

de todos os filhos…

a Virgem Maria…

* À minha mãe, Dinah.

* Saudades de Dinah, Zé Neto, Robson, Cézar, Gibson e Jackson

* Jornalista, poeta, da Academia Recifense de Letras/Cadeira 22- Patronesse: Thargélia Barreto de Menezes, e da União Brasileira de Escritores (UBE/PE).

A ben√ßa, m√£e…

*Robson Sampaio

 A mulher é a obra-prima

de Deus.

M√£e, filha, irm√£, amiga e

amante.

Todas sublimes.

 

Josefa deu à luz!

Severina pariu!

Maria concebeu Jesus!

 

As sementes germinam:

no ventre a vida,

no coração o amor,

no olhar a ternura e,

na alma, a luz.

 

Todas sublimes,

todas maternas,

todas filhas de Maria.

A bença,mãe!

* Jornalista, poeta, da Academia Recifense de Letras/Cadeira 22- Patronesse: Thargélia Barreto de Menezes, e da União Brasileira de Escritores (UBE/PE).

Menina-Santa    

*Robson Sampaio

 

Menina-criança,

roubaram a tua boneca,

o teu sorriso,

a tua alegria.

 

Menina-moça,

roubaram a tua meiguice,

os teus encantos,

o teu corpo.

 

Menina-mulher,

ainda menina e moça,

n√£o h√£o de roubar

a tua alma, a tua paz,

a tua vida.

Menina-Santa,

como tantas outras…

* À Casa de Passagem (Recife-PE).

* Jornalista, poeta, da Academia Recifense de Letras/Cadeira 22- Patronesse: Thargélia Barreto de Menezes, e da União Brasileira de Escritores (UBE/PE).

Cigana encantada…¬†¬†¬†¬†

*Robson Sampaio

 

Gente sem destino, m√ļltiplos caminhos,

andarilhos, zíngaros, tradição de milênios.

Na leitura da m√£o, a sorte dos outros

e o próprio destino ao vento. Desatino?

Oh, Carmem, cigana encantada,

amor impossível!

 

A altivez dos machos é reflexo ímpar

 e majestoso de um povo sem rumo.

A alvura das carnes nas fêmeas são

tessituras de desejos inatingíveis

e de mistério no ar.

Oh, Carmem, cigana encantada,

amor impossível!

 

Anéis, pulseiras, brincos, colares,

deslumbramentos nos adornos

e sorrisos enigm√°ticos.

E nas vestes largas e multicoloridas,

a beleza milenar das indianas

e egípcias.

Fascínio, segredo, sedução, exotismo,

fêmeas de vida errante, incerta.

Todas, filhas de Carmem, cigana encantada,

amor imposs√≠vel…

* Jornalista, poeta, da Academia Recifense de Letras/Cadeira 22- Patronesse: Thargélia Barreto de Menezes, e da União Brasileira de Escritores (UBE/PE).

 

 Santa-Mulher?    

*Robson Sampaio

 Que mulher é essa,

que vira Santa e move

a fé com a sua força?

 

Que mulher é essa,

que vira Santa e

transforma pag√£os

em santos profanos?

 

Que mulher é essa,

que vira Santa e faz

da dor uma fonte de

esperança?

 

Est√°tua de pedra?

Alma de gente?,

Est√°tua de pau?

Santa-Mulher?

Est√°tua de barro?

Mulher-Santa?

 

Pedra de fé?

Fé de vida?

M√£e da gente?

Virgem-Santa?

* Jornalista, poeta, da Academia Recifense de Letras/Cadeira 22- Patronesse: Thargélia Barreto de Menezes, e da União Brasileira de Escritores (UBE/PE).

 

A Cruz do Patr√£o

 Robson Sampaio *

Ecoam gritos eternos na

vastid√£o das noites e do mar.

Gritos de dor lancinante,

t√£o fortes que varam os

arrecifes, as almas emitem

sons quase selvagens.

S√£o lamentos de negros

sem o sonho da liberdade,

feridos de saudades e de morte.

Submissos à espera do senhorio

est√£o os filhos da vida sem vida,

confinados na Cruz do Patr√£o,

onde o tempo n√£o sepulta a lenda

e a injustiça ainda açoita os insepultos,

escravos-fantasmas…

* Jornalista, poeta, da Academia Recifense de Letras/Cadeira 22- Patronesse: Thargélia Barreto de Menezes, e da União Brasileira de Escritores (UBE/PE).

Deixe um coment√°rio:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Current ye@r *