Votação para homenageados do Carnaval de Olinda 2019

A votação popular para a escolha dos dois homenageados do Carnaval de Olinda 2019 começou nosábado (09.02) e segue até quarta-feira (13.02). Os dez indicados, em memória, foram escolhidos por terem contribuído para a construção da nossa cultura e de uma das festas mais conhecidas no mundo.
A urna para escolha, uma parceria da Prefeitura de Olinda com a Rede Globo,  passará por vários bairros da cidade. Na quarta-feira (14.02), no Palácio dos Governadores, com a presença de familiares, os mais votados serão anunciados.
 
CONFIRA OS LOCAIS DA URNA: 
09/02 – Feira de Peixinhos, 07:30 – 13:30
10/02 – Praia do Quartel, 6:30 – 15h
11/02 – Terminal de Ônibus de Rio Doce, 6:30 – 15h
12/02 – Terminal de Xambá, 6:30 – 15h
13/02 – Centro Comercial de Ouro Preto, 6:30 – 15h
14/02 – Anúncio do Homenageado
PERFIL DOS INDICADOS:
MIRULA Elefante De Olinda —“Pai, faz um hino pra Elefante”, disse um dia Cláudio Nigro, mais conhecido como Mirula, para o seu pai Clídio Nigro. Foi a partir desse pedido que uma das composições mais célebres da cidade de Olinda tomou forma como hino do tradicional Clube Carnavalesco Misto Elefante de Olinda.
LULA DOS ESTANDARTES – José Luiz Aragão da Silva, conhecido como Lula do Estandarte. Mais de 200 estandartes de diversos blocos e agremiações de Olinda, como Cariri, Vassourinhas, Elefante de Olinda, foram confeccionados pelo artesão. Uma das homenagens que ele recebeu foi do Homem da Meia-Noite, em janeiro de 2012.
MESTRE AFONSO – O mestre do mais antigo maracatu do Brasil. Afonso Gomes de Aguiar Filho era a figura principal do Maracatu Leão Coroado, fundado em 1863.
CABELA – Antônio Aurélio Sales, mais conhecido como Cabela, um dos fundadores da troça carnavalesca Ceroula de Olinda, que desfila no carnaval olindense desde 1962.
CLOVIS PRETO VELHO – O presidente da Escola de Samba do Preto Velho administrava o grêmio recreativo desde 2012 e era um dos principais militantes pela manutenção do samba em Olinda.
BAIXINHA EU ACHO É POUCO – Maria Alice Soares dos Anjos. Conhecida como Baixinha, ela foi uma das fundadoras, em 1976, do bloco de carnaval Eu Acho é Pouco.
MIUCHA – Foi no ano de 1975 que um bloco anárquico de Olinda chegou chegando e encarou um debate ainda incipiente no Brasil se comparado com os dias de hoje. O Segura a Coisa, que existe até hoje, se reconhece como o primeiro bloco canábico do Brasil e esteve conectado com um movimento mundial a favor da legalização da maconha. Criada espontaneamente pelos foliões Aldifas Santos, Pii, Ângelo, Xirumba e mais uma galera dos Quatro Cantos.
MESTRE FERRUGEM DO COCO – Wilson Bispo do Santos era conhecido por defender o coco raiz, herança do avô, João Francisco da Luz, que apresentou o ritmo ao neto. Ferrugem, como passou a ser chamado, trabalhou como marceneiro e carpinteiro até descobrir afinidade com a música. O primeiro contato do mestre com um estúdio de gravação foi em 2004, quando gravou músicas para o projeto Coco do Amaro Branco. Bastaram três anos para que ele lançasse o primeiro de muitos discos de coco, baião e samba. Entre os trabalhos que contaram com Ferrugem, o documentário Coco, a Roda, o Pneu e o Farol.
BARTOLOMEU MARIM DOS CAETES – O presidente e fundador do bloco carnavalesco Marim dos Caetés, Bartholomeu Santiago.
O LORDE DE OLINDA – Personagem famoso do Carnaval de Olinda, o Lorde desfilou pelas ladeiras da Cidade Alta por 63 anos, trajando fraque preto e cartola, doados por seu avô. Em 2006, Mário Raposo ficou de fora do Carnaval.

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Current ye@r *